Notícias - Cooperfarms

Um recente relatório do adendo do USDA na China reafirma que a Febre Suína Africana (FSA) é endêmica em toda a China, mas os altos preços da carne suína incentivarão muitos produtores de suínos chineses a reabastecer ou a expandir, apesar dos riscos significativos para a saúde animal representados pela FSA. Estima-se que o tamanho total do rebanho diminua em 21% em 2019 e mais 10% em 2020. Enquanto isso, a estimativa é de que o consumo de carne suína caia em pelo menos 9% em 2019. A demanda contínua por carne suína vai impulsionar um aumento acentuado nas importações, de cerca de 60% ano a ano.

O Departamento de Agricultura dos EUA – USDA, divulgou nesta segunda feira, 12, o seu mais novo relatório de Oferta e Demanda mundial, e mais uma vez surpreendeu o mercado. A área de soja plantada no EUA foi reduzida novamente, de 32,078 milhões de hectares para 30,702 milhões, uma redução maior do que a esperada pelo mercado. Apesar da redução da área, a produtividade foi mantida. Sendo assim, a produção total dos EUA para a safra 19/20 foi estimada em 100,17 milhões de tons, ante 104,64 milhões em julho. Para o milho, a previsão de área colhida foi reduzida de 33,83 milhões em julho para 33,19 milhões de hectares em agosto. Apesar da redução da área, houve aumento da produtividade e dos estoques iniciais, além de redução do consumo interno e das exportações, o que causou um aumento dos estoques finais nos EUA, de 51,067 milhões de toneladas em julho para 55,402 milhões em agosto.

A campanha de doação de sangue e cadastro de medula óssea Doar Faz Bem, que acontecerá entre os dias 17 a 20 de setembro, em Luís Eduardo Magalhães, ganhou o reforço das cooperativas de transportes da cidade e agora, conta com seis entidades na linha de frente da ação, as agrícolas: Cooperfarms (Cooperativa do Produtores Rurais da Bahia), Cooproeste (Cooperativa Agropecuária do Oeste da Bahia) e Unibahia (Sociedade Cooperativa Unibahia), a de crédito, Sicredi, e as de transportes, Cootransf (Cooperativa de Transportes de São Francisco) e COOPGNP (Cooperativa dos Transportadores de Luís Eduardo Magalhães), além do apoio da Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba), prefeitura municipal e Clínica São Camilo.

É a vez de a região do Oeste da Bahia identificar gargalos e propor soluções para a agricultura local. No próximo dia 21 de agosto, o município de Luís Eduardo Magalhães vai receber mais uma edição do Fórum de Inovação em Agronegócio, que é promovido pela Federação Brasileira de Plantio Direto e Irrigação (FEBRAPDP) desde 2015, de forma itinerante, pelas diferentes regiões do país discutindo questões e soluções acerca da Agricultura Sustentável.

A soja americana, as humildes leguminosas que se tornaram peões importantes na guerra comercial EUA-China, estão secando em mais de uma maneira.

Ontem (06), a comitiva formada por representantes das embaixadas da Argélia, Austrália, Alemanha, Cuba, Canadá, França, Indonésia, Malásia, Tailândia e Vietnã esteve em Luís Eduardo Magalhães e visitou empresas de confinamento de animais e processamento de algodão, finalizando a agenda na Cooperfarms, onde conheceu de perto o modelo de negócio da Cooperativa.

Importante polo da produção agropecuária brasileira, em especial de fibras e grãos, o oeste da Bahia será o destino da 6ª edição do AgroBrazil, programa de intercâmbio da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). A iniciativa promove a aproximação entre produtores rurais e representações estrangeiras no Brasil.

A cada safra o produtor rural sente no bolso o encarecimento de insumos indispensáveis para a atividade. Com isso, toda alternativa que agregue valor ao negócio é sempre vista com bons olhos pelo agricultor. No oeste da Bahia, uma estratégia articulada pela Cooperativa dos Produtores Rurais da Bahia (Cooperfarms) tem driblado os custos de produção. 

O Brasil ocupa o posto de terceiro maior exportador agrícola do mundo, segundo dados da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), divulgado setembro passado. Nesse cenário, destaca-se o cooperativismo agropecuário responsável por quase 50% do PIB agrícola, de acordo com o Ministério da Agricultura. Dados do último Censo Agropecuário, conduzido pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), aponta que 48% de tudo o que é produzido no campo brasileiro passa, de alguma forma, por uma das 1.613 cooperativas em atividade no país, que reúnem cerca de um milhão de associados e geram mais de 209 mil empregos, conforme aponta a OCB.

Entre os dias 28 e 29 de junho, os produtores rurais Airton Gorgen, Bruno Gorgen e Sandro Zancanaro e o diretor executivo da Cooperativa dos Produtores Rurais da Bahia (Cooperfarms), André de Oliveira, participaram de uma expedição ao Rio Paraná em Ita Ibate, um dos pesqueiros mais famosos da Argentina, localizado na província de Corrientes.

Em Luís Eduardo Magalhães, última parada da comitiva, o grupo encerrou a agenda na Cooperativa dos Produtores Rurais da Bahia (Cooperfarms). Recepcionados pelos diretores consultivos, Odacil Ranzi e Luiz Antonio Pradella, e comercial, Odair de Aguiar, os investidores árabes participaram de uma mesa redonda envolvendo os temas: sistemas agrícolas sustentáveis da Bahia e os desafios e oportunidades de financiamentos no setor de Crop Protection, tendo como moderadores o secretário de Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura da Bahia (Seagri), Lucas Costa e o CFO da CCAB Agro, Eduardo Roncalia, respectivamente.

Segundo maior produtor de algodão do Brasil, a Bahia sediou a 1ª edição do Dia do Algodão da Bahia, realizado no último sábado (15), na Fazenda Sete Povos, no distrito de Roda Velha, em São Desidério.