Quinta, 01 Outubro 2020 11:37

Sobras da Cooperfarms são repassadas aos cooperados Destaque

Cooperado Francesco Lanciotti foi um dos primeiros cooperados a receber o valor das sobras referente ao exercício fiscal de 2019. Cooperado Francesco Lanciotti foi um dos primeiros cooperados a receber o valor das sobras referente ao exercício fiscal de 2019. Foto: Júnior Ferrari

O produtor rural Francesco Lanciotti de São Desidério/BA, foi um dos primeiros cooperados da Cooperativa dos Produtores Rurais da Bahia (Cooperfarms) a receber o valor das sobras registradas no exercício fiscal de 2019, que totalizou um faturamento de mais R$ 4 milhões, crescimento de 111,4% em relação ao exercício fiscal anterior, e que resultou numa sobra líquida superior a R$ 1,8 milhão.

Esta é a primeira vez, em 12 anos de fundação, que a cooperativa distribui suas sobras de exercício aos cooperados, decisão aprovada em Assembleia Geral Ordinária (AGO), realizada em agosto passado.

Para Lanciotti, que há cerca de 6 anos é associado na Cooperfarms, o valor das sobras chegou numa boa hora e já tem destino certo. “Já autorizei o financeiro da Cooperativa a utilizar o recurso para pagar o adubo para safra 21/22”, comemorou o agricultor.

Com uma área de 500 hectares distribuídos entre as culturas de soja e milho, ele afirma que o cooperativismo é uma alternativa econômica de se manter e de prospectar na atividade. “Sendo um pequeno produtor rural na Bahia, trabalhar através do sistema cooperativista é uma grande vantagem, pois meus volumes são pequenos e sozinho não consigo barganhar preços, além de poder contar bastante com a equipe técnica da Cooperfarms auxiliando na venda das commodities”, defendeu Lanciotti.

Para o presidente da Cooperfarms, Marcelo Kappes, o resultado positivo reforça o compromisso da cooperativa de buscar a competitividade e a sustentabilidade dos negócios que envolvem o quadro social. “Apesar de uma estrutura administrativa enxuta, visamos os melhores preços de mercado, honrando nossos relacionamentos com transparência e de forma participativa, com resultados sólidos e foco no coletivo, a exemplo da distribuição das sobras”, reforçou Kappes.

Além do balanço expressivo de sobras, a Cooperfarms encerrou o exercício fiscal de 2019, com um saldo superior de R$ 680 mil destinado ao Fundo de Assistência Técnica, Educacional e Social (FATES), que tem o intuito de contribuir na educação e formação dos cooperados e colaboradores.

A distribuição das sobras acontece de forma gradativa e está sob a responsabilidade do departamento financeiro da cooperativa que fará o contato direto com cada cooperado.