Sábado, 02 Abril 2022 13:08

Associados aprovam chamada de capital de R$ 11 mi para a aquisição de uma nova estrutura de armazenagem de defensivos; decisão coloca a Cooperfarms em outro patamar comercial Destaque

Associados aprovam chamada de capital de R$ 11 mi para a aquisição de uma nova estrutura de armazenagem de defensivos; decisão coloca a Cooperfarms em outro patamar comercial Foto: Junior Ferrari

Por unanimidade de votos, os associados da Cooperativa dos Produtores Rurais da Bahia (Cooperfarms) aprovaram na última quinta-feira (31/03), em assembleia, a aquisição de uma nova e moderna estrutura de armazenagem de defensivos agrícolas com chamada de capital de R$ 11 milhões.
 
O novo local, com 13,9 mil m², sendo 5,8 mil m² de área construída, localizado às margens da BR 020, sentido Luís Eduardo Magalhães - Brasília, possui capacidade imediata de operação de 6.450 posições/paletes, além de área blocada, inflamáveis, nove docas e escritório.
 
“Nossa atual estrutura permite apenas 1.400 posições/paletes, além de dificultar a logística operacional, estamos em uma área alugada que não nos permite avanços de ampliação”, disse o presidente da Cooperfarms, Marcelo Kappes, ao destacar que em 2021, o serviço de armazenagem de defensivos operou em total vapor e permitiu aos associados a entrega de produtos, mesmo durante a crise de oferta de insumos agrícolas.
 
Segundo ele, a política comercial da cooperativa, um dos grandes balizadores de preços na região, assegura que o cooperado seja assertivo na tomada de decisão na compra de defensivos e consequentemente, tenha através do serviço de armazenagem, a segurança e o estoque do produto no momento da aplicação.
 
A compra da nova estrutura se dará através da chamada de capital, ou seja, os cooperados viabilizarão o investimento através da aquisição de cotas no valor unitário de R$ 75 mil. A mudança para o novo endereço acontecerá em até seis meses.
 
“A decisão pela aquisição dessa nova e moderna estrutura de armazenagem de defensivos agrícolas foi tomada após muito diálogo com os cooperados, que em assembleia aprovaram a chamada de capital e entenderam a oportunidade de negócio, que coloca a Cooperfarms em um outro patamar comercial”, destacou Kappes.
 
Nova unidade de negócio: Outra pauta da assembleia foi a implantação de uma nova unidade de negócio para o beneficiamento de algodão. Em votação, o grupo sinalizou analisar a proposta, após a apresentação de um estudo de viabilidade.