Sexta, 01 Mai 2020 09:49

Cooperfarms recebe relatório com 16 estratégias de desenvolvimento e expansão de novos negócios

Parte do grupo de trabalho responsável pela transmissão das informações que culminaram no plano de ação com 16 propostas. Parte do grupo de trabalho responsável pela transmissão das informações que culminaram no plano de ação com 16 propostas.

Um grupo de trabalho da Cooperativa dos Produtores Rurais da Bahia (Cooperfarms) recebeu nesta última terça-feira (28), o relatório final de uma instrutória prática assistida que teve sob a organização do ex-secretário da Agricultura e da Pesca de Santa Catarina e engenheiro agrônomo, Airton Spies.

O objetivo da instrutória que nasceu dentro do Fórum das Cooperativas Agropecuárias da Bahia, de iniciativa da Organização das Cooperativas do Estado da Bahia (OCEB) em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado da Bahia (SESCOOP/BA) e que tem o intuito de aumentar a sinergia entre sete cooperativas agrícolas, entre elas a Cooperfarms, é de proporcionar aos gestores e executivos as competências para a elaboração de estratégias e planos para o desenvolvimento e a expansão da Cooperativa, tendo como base o diagnóstico da situação passada, presente e futura realizado por Spies com a colaboração do grupo de trabalho composto por conselheiros e equipe administrativa da Cooperativa.

O documento consta de um plano com 16 ações e estratégias, cada uma com sua forma de implantação, seu respectivo prazo de execução e seus impactos ou resultados esperados. “São ajustes na administração da cooperativa, proposição de novas formas de atuação para as atividades que já vêm sendo executadas, além da expansão e implantação de novos negócios, sempre atendo-se a missão, visão e valores da cooperativa, seus objetivos e aos princípios do cooperativismo. O desafio é fazer uma gestão melhor, mais eficaz e que tornará a Cooperativa mais competitiva e sustentável em benefício de seus cooperados e familiares”, pontou Spies.

Segundo ele, o trabalho que iniciou em agosto de 2019, agora avança para a quarta e última etapa que deverá acontecer em Salvador e reunirá os membros das quatro cooperativas contempladas com a instrutória nesta primeira fase.

“A ideia é que também, a partir do Fórum, as cooperativas desenvolvam ações para fortalecer o cooperativismo agropecuário baiano através de oportunidades de intercooperação na qual possam criar escala, serem mais eficientes e competitivas nas negociações, tanto na compra de insumos como também na comercialização e na industrialização de produtos de origem de seus cooperados, além compartilharem experiências exitosas que levam a resultados que vão beneficiar associados e familiares através da geração de sobras que o cooperativismo compartilha”, disse Airton.

Doutor em Economia dos Recursos Naturais pela University of Queensland da Austrália e Mestre em Ciências Agrícolas pela Universidade de Lincoln, Nova Zelândia, Spies atuou por 34 anos como extensionista e pesquisador da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) e chefiou o Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola da instituição entre os anos de 2005 a 2010, sendo responsável pelo planejamento do setor agropecuário daquele Estado.

Para o presidente da Cooperfarms, Marcelo Kappes, “o plano de ação norteará e subsidiará a Cooperfarms para uma nova fase que visa impulsionar os negócios da cooperativa, seja pelo ajuste comercial e institucional de algumas unidades de negócios e na expansão de outras a curto, médio e longo prazo, mas principalmente em conscientizar e despertar o senso de pertencimento de seus cooperados e colaboradores na sustentabilidade da Cooperativa”, ressaltou Kappes.