Quinta, 18 Junho 2020 17:15

OCEB celebra meio século de atuação

Comemorar 50 anos é um marco na vida de qualquer pessoa, afinal, meio século de existência é sinal de muitas histórias para contar. Nas bodas de ouro da Organização das Cooperativa do Estado da Bahia – OCEB não poderia ser diferente. Quando o assunto é o cooperativismo no Estado, pode deixar com quem desempenha seu papel de representação das cooperativas baianas.

Para comemorar esse marco, na noite da última terça-feira (16/6) o presidente do Sistema OCEB, Cergio Tecchio, o presidente do Sistema OCB, Marcio Freitas, o secretário geral da OCEB, Alexandre Cerqueira, e o superintendente da OCEB, José Alberto Batista, se reuniram para celebrar os 50 anos da OCEB, através de uma live no canal do YouTube do Sistema OCEB (acesse aqui).

Tecchio iniciou o evento falando sobre a importância da data e rememorando as cooperativas que, em 1970, se reuniram na sede da Federação da Agricultura da Bahia, e atuaram diretamente na constituição da OCEB. Relembrou também dos primeiros gestores da instituição, em especial do ex-presidente, Epaminondas Dourado, e dos demais Diretores que foram os primeiros a compor a diretoria da organização. “Para estes pioneiros o nosso agradecimento do fundo do coração, pois eles iniciaram uma nova história, iniciaram um novo cooperativismo no Brasil. Foram pessoas que tiveram muita coragem, perseverança e uma visão de futuro para criar esta organização.”

Trazendo um pouco do contexto histórico da constituição da OCEB, o presidente da OCB, destacou a coragem daqueles que iniciaram o movimento cooperativista em um momento onde o Brasil vivia, o considerado período militar. “A OCEB surge em um momento onde reunir três pessoas na esquina poderia ser confundido com comunismo. Um cenário muito complexo e de muitas transformações. Falar de cooperativismo era uma questão de muita coragem e de muita persistência das pessoas. O movimento cooperativista sabia que precisava fazer frente naquele momento, com boas informações, com uma organização bem feita, e por isso que nasceu o Sistema OCB. Para termos uma comunicação mais direta mais clara com o governo da época. A história nos mostra que isso foi fundamental no Brasil inteiro”, afirma Márcio.

Uma das personalidades que conhece bem o papel da OCEB frente ao desenvolvimento do cooperativismo baiano é José Alberto Batista, que passou a integrar a organização, ainda em 1989, como estagiário no setor de contabilidade. No ano seguinte, foi contratado como funcionário e, desde 2006, ocupa o cargo de superintendente. Beto, como é chamado carinhosamente pelos companheiros cooperativistas, na ocasião, salientou a importância de contar a história do cooperativismo do Brasil, também a partir da criação da OCEB. “A OCEB tem um papel muito importante na organização das cooperativas no Brasil. Às vezes, as pessoas acham que o Sistema OCB e suas unidades estaduais foram criados pela Lei 5764, no entanto, foi a capacidade de organização das cooperativas brasileiras que possibilitou a implantação de uma política cooperativista.”

ORGANIZAÇÃO, GESTÃO E PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO
Uma das características da OCEB é o seu formato de planejar as estratégias de atuação. Todos os anos as cooperativas são convocadas a participarem da construção da relação de prioridades da instituição, através de dois importantes eventos: o Alinhamento Estratégico do Sistema OCEB e o Encontro Regional de Presidentes, Dirigentes e Gestores do Cooperativismo Baiano – Direcoop, que neste ano acontecerá em formato digital (increva-se aqui).

Quando o assunto é gestão, o Conselho Diretor da OCEB e o seu Conselho de Ética atuam juntos, cada um com sua expertise, para fazer uma gestão transparente e comprometida com os princípios cooperativistas e com as cooperativas do nosso estado. Trabalho que foi destacado pelo secretário geral da OCEB, Alexandre Cerqueira, que citou o nome dos conselheiros da instituição e a importância de cada um dentro da casa, ressaltando também a relevância da atuação nas câmaras temáticas e participação em intercâmbios. “Hoje nós participamos de todas as câmaras temáticas possíveis em cada ramo. Destaco as câmaras temáticas do ramo transporte e do ramo agropecuário, tão bem representadas pelos parceiros Jair Romualdo e Jaymilton Gusmão, respectivamente. Uma das melhores coisas durante essa gestão foram os intercâmbios para outros estados, onde conhecemos de perto outras realidades e conseguimos implantar atitudes simples em nossas cooperativas. Nossa busca agora é para ser um estado que seja essa referência.”

UM OLHAR PARA O FUTURO
Os próximos passos da instituição também foi pauta da live. Esse exercício de olhar para o futuro com esperança, mesmo em um cenário onde a pandemia pelo novo coronavírus é a uma das principais pautas das conversas do nosso dia-a-dia e também nos noticiários é uma atitude dos cooperativistas.

Márcio Freitas afirma que há necessidade de grandes mudanças por parte das cooperativas para se adaptar ao novo momento que virá, e já se apresenta, e acredita na capacidade das cooperativas brasileiras em transformar os desafios em oportunidades. “Eu sou otimista com o futuro do cooperativismo. Não que isso signifique bonança, pois nós vamos ter que trabalhar muito. E ainda bem que iniciamos esses programas de profissionalização do nosso cooperativismo. Hoje estamos muito mais preparados para enfrentar um processo mais estratégico de discussão do nosso futuro. Ainda temos que continuar investindo no profissionalismo, na competência. Continuar investindo na nossa parte mais importante, que são as pessoas.”

Para o presidente, Cergio Tecchio, mirar os próximos 50 anos é avaliar os objetivos da instituição e continuar mantendo o compromisso com o planejamento da organização. “Pensar os próximos 50 anos é um desafio ainda maior. Acredito que, com as mudanças nas relações entre as pessoas e constantes inovações na comunicação, o foco da OCEB será nas pessoas, que devem ser ainda mais ativas na construção da cultura da cooperação. Nosso desafio será aplicar nossos valores e princípios de forma ainda mais efetiva”.

Fonte: Ascom Oceb