Segunda, 15 Março 2021 13:43

Alta performance e saúde pautaram o quinto encontro de mulheres Cooperfarms

O que nos mantêm saudáveis e felizes enquanto passamos pela vida? A pergunta deu a tônica da palestra com o filósofo e psicopedagogo, Otávio Grossi, durante o quinto Encontro de Mulheres Cooperfarms realizado na quinta-feira (11), com transmissão pelo canal da Cooperativa no YouTube, em função da crise sanitária causada pela COVID-19. O encontro registrou a participação de mais de 60 internautas.

Segundo Grossi, o que mantêm uma vida saudável e feliz são os relacionamentos, ou seja, são as conexões sociais vivenciadas e a qualidade destes relacionamentos, e não a quantidade, que por fim, estimulam e protegem o cérebro. 

A afirmação de Grossi é sustentada com base no resultado de duas pesquisas científicas: uma, envolvendo a geração Y (também chamada geração do milênio ou geração da internet) e uma outra, mais longa, encabeçada pela Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, que acompanhou por 75 anos, o comportamento de 724 pessoas de dois grupos focais, um de estudantes da universidade e o outro, garotos de famílias problemáticas e desfavorecidas.

O primeiro estudo revelou que, 80% da geração Y tem como objetivo de vida acumular dinheiro, 50% querem ficar famoso, outros buscam no trabalho o objetivo de vida e outros no desenvolvimento de múltiplas tarefas. 

Já o segundo, constatou que, alguns tornaram-se alcoólatras, outros perderam tudo, uns saíram do zero e conquistaram e acumularam riquezas, e uns poucos sofreram de esquizofrenia. 60 das 724 pessoas ainda estão vivos e participam do estudo, a maioria com 90 anos.

Para o filósofo, a mensagem é clara: “são os bons relacionamentos e não as coisas que nos mantêm saudáveis e felizes. As coisas são as consequências de nossas atitudes”, reiterou.

Para entender melhor sobre o comportamento de alta performance, Grossi, em sua tese de doutorado, se debruçou sobre a conduta de seus pacientes de consultório e concluiu que, pessoas que tinham uma vida saudável e de alto performance, tinham atitudes em comum. “Elas buscavam o autoconhecimento, mantinham hábitos físicos e nutricionais saudáveis, prezavam pelo conhecimento, tinham gestão do tempo, planejavam suas atividades, interagiam com o uso de novas tecnologias, realizavam trabalho em equipe, tinham parcerias efetivas e mensuravam os resultados alcançados ao longo da vida”, enumerou Grossi.

“Ser saudável significa desenvolver atitudes pelas competências de performance para as conquistas autênticas”, resumiu. Entretanto, uma mente forte também é fundamental para desenvolver tais atitudes, revelou Grossi, que sugeriu algumas ações diárias: parar de remoer coisas, falar mais coisas boas de si mesmo, praticar o autocuidado, ter um hobby, estruturar relacionamentos saudáveis, visualizar os objetivos diariamente, praticar a gratidão e aprender dizer não sem muita explicação. 

Para o presidente da Cooperfarms, Marcelo Kappes, o encontro é sempre uma oportunidade que as cooperadas, esposas e filhas de cooperados, colaboradoras e convidadas têm para trocar informação e estudar novas estratégias de inserção na dinâmica social e organizacional, e consequentemente liderarem outras iniciativas que fortaleçam a presença da mulher nas diversas frentes do agronegócio baiano. “A mulher tem um valor muito grande nos negócios familiares, e quando discutimos o tema na atividade agrícola, essa singularidade feminina assume o papel estratégico da união e do fortalecimento das relações”, garantiu Kappes.

Para assistir ou rever a palestra na íntegra, clique aqui.